Ed Fogaça
7jun/160

A queda e ascensão do saxofone in C (Parte 05)

 

curiosidade 5 sax in C

 

 

 

 

 

 

 

    John Robert Brown

 

No final da década de 1920, após o colapso de Wall Street, o interesse no saxofone C-melodia diminuiu. Os Saxofones nas novas bandas de swing eram agora utilizados em secções de três e quatro e essa formação foi mais facilmente organizada para utilização de instrumentos em Eb e Bb. Houve também a opinião de que o saxofone C-melodia havia sido desenvolvido com pouco volume de som e era inadequado para os naipes poderosos das big bands.

Rudy Wiedoeft parece ter feito suas últimas gravações em 1927. Após a morte de seu irmão em 1928, ele começou a retirar-se do ambiente musical, se dedicou ainda por diversas vezes ao ensino. Ele morreu de cirrose do fígado em fevereiro 1940.

Trumbauer continuou a gravar na década de 30, passou por Paul Whiteman em 1936 e trabalhou em New York. Em meados de 1940 Trumbauer anunciou que estava deixando a música para tomar uma posição em tempo integral como um inspetor com a Aeronáutica Civil. Ele passou o resto de sua vida na aviação, trabalhando como piloto de testes durante a Segunda Guerra Mundial.

Desde o início dos anos 1930 alguns saxofonistas ficaram incomodados com o saxofone C-melodia. As inovações do bebop não trouxe nenhuma vantagem para a delicadeza melancólica do instrumento. Há mais de cinquenta anos, o C-melodia é evitado. Modelos, quase sempre banhados em prata, iria aparecer em lojas de segunda mão. Estes instrumentos foram muitas vezes erroneamente descrito como um tenor ou um alto (embora muitos saxofones C-melodia têm um "C" abaixo o número de série), e oferecidos a preços muito baixos. Iniciantes foram avisados para evitá-los.

ED FOGAÇA

Comentários (0) vínculos (0)

Sem comentários


Deixe teu comentário

não tem vínculos.